José Ernesto Ferraresso




Criança

José Ernesto Ferraresso



Apenas de uma gotícula,
Aparece um ser de carne e espírito,
Depois de nove meses,
Tudo se torna vida terrena,
Chega e não sabe qual será a sua sina,
A criança, este ser gerado,
Não pediu para nascer,
Foi gerada num momento de amor,
Foi concebida num instante de paixão,
O que ela vai passar, ninguem sabe,
O que está reservado para o seu futuro,
Menos ainda,
Só sabe que precisa viver,
Só percebe que está vivendo,
E dentro de nós ela existe,
E não podemos deixá-la morrer,
Não importa que o tempo passe,
Nunca iremos nos arrepender .



Todos os Direitos Reservados



Está proibida a cópia total ou parcial desta página.



Voltar